Sistema de Evidências Auditáveis de Governança do Brasil

Em Brasília, Ufam e UFPB apresentam projetos-piloto para composição do Sistema de Evidências Auditáveis de Governança do Brasil

O ministro Augusto Nardes, do Tribunal de Contas da União (TCU), recebeu das Universidades Federais do Amazonas (Ufam) e Paraíba (UFPB), no último dia 10, a minuta do Relatório de Evidências Auditáveis de Governança do Brasil, o REAG-BR/2020, que se propõe a facilitar o acompanhamento dos dados financeiros e de pessoal pelos órgãos do governo.


Na oportunidade, o reitor da Ufam, professor Sylvio Puga, representou a Instituição e formalização do ingresso ao modelo de governança, sendo a primeira da região Norte, além da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), a primeira da região Nordeste. Acompanhado do coordenador da Comissão Interna de Governança (CIG), professor Dércio Luiz Reis, que também compõe o quadro diretivo da Assessoria de Relações Internacionais e Interintitucionais (ARII), do diretor da Pró-reitoria de Gestão de Pessoas, Moisés Alves dos Santos e do assessor especial da Reitoria, professor Edmilson Bruno, o reitor também apresentou o Plano de Governança da Universidade ao ministro Augusto Nades e convidados. O Relatório Gerencial da Instituição teve dados concernentes a 2019, compreendendo o período de janeiro a novembro.


"A Ufam avançou e fortaleceu o processo de organização de informações gerenciais nos últimos dois anos. Esse novo sistema nos auxiliará, além de nos oferecer a transparência necessária à gestão da coisa pública. O sistema permitirá a descrição de atividades e metas de cada unidade que comporão um sistema de indicadores que mostrará o desempenho de cada curso/unidade, o que para nós, em termos de planejamento, é estratégico”, disse o reitor.


A Comissão Interna de Governança (CIG)/Ufam, coordenada pelo professor Dércio Luiz Reis, é o setor responsável pela implantação do novo sistema que está sendo desenvolvido pela (UnB).


A Comissão tem como objetivo garantir a adequação do sistema de governança desenvolvido à realidade organizacional das instituições, mantendo a legitimidade das informações extraídas.


“São informações financeiras e também os indicadores que mostram o desenvolvimento das ações de cada setor, dados mantidos à disposição dos órgãos fiscalizadores e também da sociedade em geral”, destacou o coordenador de Acordos da Assessoria de Relações Internacionais e Interinstitucionais (ARII), professor Dércio Luiz Reis.


Sobre o REAG-BR/2020


De acordo com a minuta do REAG-BR, o processo de implementação apresentado por etapas teve início em setembro de 2019 e finalizará em dezembro deste ano. O próximo passo é a sensibilização do gestor principal responsável e da equipe de apoio para construção do Relatório de Evidências Auditáveis de Governança de 2019, bem como as portarias de implementação da governança.


Dentre os principais resultados esperados com a consolidação do REAG-BR de projeto de governança, estão: a apresentação do primeiro relatório de Evidências Auditáveis de Governança de um País; a colaboração para a modernização da gestão pública na União, Estados e Municípios; o oferecimento de uma evidência auditável de governança que envolva as pessoas na entrega do valor público; o auxilio aos Tribunais de Contas na transição dos governos municipais (2021).


Fonte: Portal da Universidade Federal do Amazonas, disponível em


1 visualização0 comentário